Livros, Resenhas

Resenha: A Sétima Cela

Ficha Técnica:

Nome do livro: A Sétima Cela

Título original: Cell 7

Autor: Kerry Drewery

Páginas: 320

Ano: 2016

Editora: Astral Cultural

Gênero: Suspense/ Distopia/ Romance

“Martha Honeydew é a primeira adolescente a ser presa no novo sistema de justiça da Inglaterra. A polícia a encontrou ao lado do corpo de Jackson Paige, uma das celebridades mais queridas do país. Nesse novo sistema de justiça, o condenado tem sete dias – cada dia em uma cela diferente – para ter seu destino determinado pelos votos dos telespectadores. Se a audiência do programa decidir pela inocência do preso, ele será solto. Caso contrário, será morto na cadeira elétrica. Martha se declara culpada, mas há algo por trás da cena do crime que os telespectadores não sabem. Quem é, de verdade, Jackson Paige? Martha Honeydew é realmente a culpada? Será que esse sistema jurídico é justo? Nesta distopia eletrizante, todas essas questões nos fazem refletir sobre o poder do dinheiro que, muitas vezes, prevalece sobre a justiça. E Martha, uma adolescente forte e destemida, mostra sua crença em uma sociedade verdadeiramente justa, na força da amizade e do amor. Mesmo que isso possa custar sua própria vida.”

img_1424“Olho por olho…”, esse é o lema no qual a sociedade da distopia, “A Sétima Cela”, vive. Por meio de um reality show, “Morte é Justiça”, muito semelhante ao nosso “Big Brother Brasil” (que é, praticamente, baseado no livro “1984” de George Orwell), na distopia os votos decidem quem vive ou quem morre. 

Com uma mistura de reality show e investigação policial, “A Sétima Cela” é a união perfeita dos dois. Assim como a doutora Eve, o leitor percebe que há algo não contado na história de Martha Honeydew que tem seu destino nas mãos dos telespectadores, eles terão de votar se ela é culpada ou inocente do assassinado de Jackson Paige, uma pessoa muito querida pela mídia. Por meio dos pontos de vista de Martha, da doutora Eve e do telespectador, vamos unindo os pedaços dessa história que tem o fim programado para uma semana.

O livro é dividido em sete partes (sete partes – sete celas). Cada dia, Martha passa por uma cela e tem uma hora para conversar com a doutora Eve, que não acredita que Martha fez o que afirma. As celas vão piorando e os prisioneiros passam por diferentes estágios de torturas que são, quase, imperceptíveis, as janelas vão diminuindo, por exemplo. Como ninguém quer passar pelo corredor da morte, é quase impossível haver dois prisioneiros na mesma cela, o que faz a jornada de uma semana ser mais longa do que parece. Não há com quem conversar ou que se ver, só a solidão e a sétima cela, cada vez mais próxima.

Minha parte favorita do livro, é quando descobrimos a verdade sobre a morte de Beth, mãe de Martha, e sobre Ollie. A verdade foi tão inesperada para mim que fiquei boquiaberta até o fim do capítulo. O que mais me tocou nessa parte foi como Martha reagiu ao saber, principalmente, como lutou por Ollie, eu achei incrível. Outra parte favorita minha é quando a Senhora B. vai ao programa e toda a armação e manipulação feita pelo reality fica bem clara. Na verdade, minhas partes favoritas estão ligadas à Senhora B., me lembra muito a personagem Red de Orange Is The New Black (então na minha cabeça, Senhora B. = Red, hahaha).

img_1426Agora, o que falar desse final? MEU DEUS DO CÉU! Que maravilhoso! O último capítulo foi o que mais demorei lendo, não por ser o maior do livro mas, porque chorei tanto que não conseguia ler. É a sétima cela então eu já estava angustiada e sentindo a bola na garganta. O livro é incrível, emocionante e mostra que vale a pena lutar pela verdade/pelo o que você acredita.

Se você procura um suspense surpreendente, parabéns, você encontrou! “A Sétima Cela” foi um livro incrível no início, meio e fim. O marketing da Editora Astral Cultural foi extremamente positivo para o livro, atiçou a curiosidade das pessoas e cumpriu com seu intuito. Com um carinho muito especial, nós do Merakiando, recebemos alguns mimos da editora e ficamos encantadas com a divulgação e a publicidade feita. Como dá para ver pela foto, há ingressos para vermos a execução de Martha (fala sério, que demais).

 

*INDICAÇÃO*

Ao ler as primeiras páginas da distopia, me trouxe a lembrança de um filme chamado “A Vida de Gale” que vocês precisam assistir, é maravilhoso, te coloca como telespectador e você começa a pensar no quão falho é o sistema que permite pena de morte. É um filme que conscientiza (ou, no mínimo, tenta), digamos que é um filme que termina e você continua pensando e formulando opiniões sobre o tema. E se você já assistiu esse filme, aproveite e leia “A Sétima Cela”.

*ATENÇÃO! A IMAGEM A SEGUIR CONTÉM SPOILER*

Se você não quer ver o spoiler, passe rapidinho até os comentários, ai você não vê a imagem! Aproveite para nos contar se você já leu e/ou quais são suas impressões sobre! Beijos 

img_1427

Leave a Reply